Otimizi

Menos é mais, falando em minimalismo.

Menos é mais

Menos é mais, falando em minimalismo.

Você já parou para se perguntar o que é menos é mais? Se realmente tem demais ou se deveria ter menos?

Podemos destacar o que é realmente fundamental e descartar o que é indispensável, é mais ou menos assim que funciona o minimalismo.

Foi um estilo criado no início do século XX, após a primeira guerra mundial. Foi influenciado pelo movimento artístico “DE STIJIL” (O ESTILO) que é um movimento artístico que ocorreu na Holanda por vota de 1917-1930.

Foi personificado pelo Arquiteto Ludwig Mies Van der Rohe, que conseguiu marcar esse movimento, com suas obras minimalistas.

O minimalismo prima por conforto e aconchego, que são os pontos mais importantes, desse estilo. Ele pega emprestado alguns elementos do desenho industrial e escandinavo, cores nos elementos decorativos e material natural como couro e madeira.

É um estilo racional, que prima a geometria clara, a sofisticação, simplicidade, abstração e linhas horizontais e verticais. Destaca o fundamental.

O minimalismo pega emprestado elementos do estilo industrial e estilo escandinavo, como cores nos elementos decorativos e materiais naturais como couro e madeira.

No mobiliário a material base é a madeira, usa-se vermelho dominante e o preto , onde se cria destaque e persoanlidade no ambiente.

Nas paredes, usa-se o off- White e bege, utiliza quadros preto e branco, pôsteres, em tons pastéis

Na iluminação, lâmpadas de led, luminárias ou pendentes de cobre, madeira, concreto ou metal

No lifestyle, é o desapego ao acumulo de pertences que agem como âncoras, limitando nossa liberdade e reforçando o medo de perder nossas coisas.

Não é a utilização de poucos elementos e sim a valorização dos elementos essenciais como a luz e a sua incidência nos volumes e massas que compõem os edifícios e configuram o espaço.

Compartilhe

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.